sábado, 31 de março de 2012

Era só isto


OYSHO

Fosse eu detentora de algumas centenas de euros que pudesse gastar só para mim, gastava-os aqui.

Não havia um item que escapasse... os próximos são estes, para alargar o meu leque de cores:


(e suas respectivas)

sexta-feira, 30 de março de 2012

Acabo de me (re)lembrar...

uma considerável percentagem da carne que eu comia quando criança era de cavalo.

Saída de emergência

Hoje reparei num pormenor... numa situação de emergência, sempre ouvi dizer "ah e tal tentar manter a calma", "sair de forma minimamente ordeira" e coisas do género... No entanto, cá está um exemplo de uma sinalização indicativa de uma saída de emergência:


... é impressão minha ou o boneco vai a correr desalmadamente em direcção à porta numa onda de "salve-se quem puder"?


O que me trouxe à memória um dos belos momentos do George, o Costanza, do Seinfeld:


Épico.

Blogger e as suas manias...

Aos meus queridos 3 ou 4 fellow bloggers que me fazem companhia, quando me comentam os posts aparece a verificação de palavras?
É que eu tinha desactivado isso, mas aparentemente o blogger não concorda com a minha escolha e volta a pôr para aparecer, mesmo depois de eu gravar as alterações, fazer tudo como mandam as regras, etc...
Alguma sugestão?

quinta-feira, 29 de março de 2012

A looong, long day...

... mas já está a acabar. Queria preparar as fotografias de Meteora mas ainda não vai ser hoje, talvez amanhã consiga. Entretanto, o BILF já perdeu a piada inicial.


Mas há coisas que valeram a pena :)





(e é isso que mais interessa)

Logo quando tenho de me esquecer...




Bitchy days. E o raio da música que não me sai da cabeça pá!

quarta-feira, 28 de março de 2012

Monasterio de Piedra

Estive lá em 2000, já lá vão uns anos. A 120 Km de Saragoça (e cerca de 860 Km de Lisboa) encontra-se o Parque Natural do Monasterio de Piedra.

 
É uma paisagem lindíssima, recheada de lagos, grutas e cascatas moldados pelo rio Piedra. Para quem andar por Espanha nas férias é sem dúvida um local a visitar.

 
As fotos que mostro aqui não são minhas, na altura ainda não tinha máquina digital e não tenho aqui o scanner para vos mostrar as que tirei na altura. No entanto, estas são bem fiéis à realidade. Tem também o mosteiro propriamente dito, exibição de aves de rapina, e agora até hotel e spa tem (já lá vão 12 anos...). 

 
Podem ver mais no site http://www.monasteriopiedra.com/



terça-feira, 27 de março de 2012

Introspecção

Chega a ser triste ser-se simpática... Mas é questão de princípio, não desisto.

Biopost #1 - o início

Este é curtinho, para não assustar. Mais virão :)





' O primeiro dia internacional do fascínio das plantas "Fascination of Plants Day” será organizado sob a égide da European Plant Science Organisation (EPSO). Pretende-se com esta iniciativa fazer com que o maior número possível de pessoas em todo o mundo desperte para o fascínio das plantas e para a importância do seu estudo na melhoria da agricultura e produção sustentável de alimentos, bem como para a horticultura, silvicultura e produção de bens não-alimentares, como papel, madeira, químicos, fármacos e energia. O papel determinante das plantas na conservação do meio ambiente será igualmente objecto de destaque.'

Mais perto da data haverá com certeza mais informação. Nesta fase tenta-se que profissionais da área, escolas, universidades e outras instituições organizem eventos e actividades sobre o tema.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Viagens

Estive a fazer um apanhado das viagens que já fiz, e o resultado foi mais ou menos este:



Vou ter de expandir a rede, sem dúvida... que vontade de viajar!

domingo, 25 de março de 2012

José Sena Goulão

Deram-me a descobrir o blogue do José Sena Goulão, um dos foto-jornalistas agredidos na manifestação de 22 de Março. Além de um post sobre a dita manifestação, em que ele relata o que viu através de fotografias e palavras (ver aqui), há muito para explorar sobre o seu trabalho fotográfico:

Sunday Moods #2



"It's no surprise to me I am my own worst enemy..."

sábado, 24 de março de 2012

Horas certas

Para quem anda mais distraído, relembra-se que "na madrugada do dia 25 de Março de 2012 (domingo), a Hora Legal muda do regime de Inverno para o regime de Verão."

Desta vez dorme-se menos uma hora, à 1:00 passam a ser 2:00.


Podemos ver no site do Observatório Astronómico de Lisboa, a instituição responsável por definir a hora legal em Portugal, como sincronizar a hora do nosso computador com a hora legal (instruções pormenorizadas aqui), além de outras informações de interesse.

Max

Este é o Max:



O Max vem de boas famílias, apesar de ter custado apenas 0.99€ numa loja sueca que não vou nomear. Podemos ver alguns parentes aqui:

Max e os irmãos (Gosig Mus)

Os progenitores (Gosig Ratta)



A razão desta introdução? Bom, vamos por partes. Esta era a minha gata quando a salvei da morte certa e a trouxe para casa, ainda muito pequenina, pequenina demais para ser tirada da mãe:
Foi brutalmente mimada desde que pôs cá as patinhas, era o bébé cá de casa. Ainda tinha de ser alimentada a biberon, ainda não tratava da sua higiene e necessidades, mas lá foi ultrapassando esses obstáculos. O primeiro amigo dela foi, como se pode já intuir, o Max.
O primeiro de muitos, está visto. Mas realmente o primeiro é sempre especial, e ainda hoje, sendo ela já uma gatinha crescida, mas tão ou mais tresloucada do que era na altura, o Max a acompanha. Não sei qual é a pancada, mas ela quando se aborrece pega no Max com a boca e anda para um lado e para o outro com um miado bastante específico, sim, o Max tem um miado específico. E reage ao nome do rato como se de um filhote se tratasse (ou filhote ou presa favorita, qualquer coisa que ainda não percebi), brinca com ele com um cuidado especial (não como comigo, que me morde e arranha com toda a força que tem, estupor), chega até a levá-lo para dormir.
Poderia dizer-se que é porque se sente sozinha, mas tem mais gatos para se distrair, dão-se todos bem, além de que tem também atenção humana.


Isto tudo para louvar a amizade, mesmo tratando-se de um gato e de um peluche. Foram os 99 cêntimos mais bem gastos, por isto:














sexta-feira, 23 de março de 2012

BILF 2012

Já está online a votação para o BILF 2012, no blogue da Pólo Norte, o Quadripolaridades. Votações abertas até 31 de Março, toca a votar!


Stop the violence

Não estive lá, mas já estive noutras. É sempre uma questão de perspectiva, e não esqueçamos que tanto de um lado como do outro se tratam de pessoas, algumas mais dadas à violência cega do que outras. No entanto, é sempre lamentável. É lamentável que alguém perca o controlo e abra caminho à violência, especialmente quando há alternativas melhores. Assuntos mais sérios à parte, o humor consegue sempre dar a volta:


quinta-feira, 22 de março de 2012

Do you wanna come over and kill some time?



(>2:17)
What are you holding out for?
What's always in the way?
Why so damn absent-minded?
Why so scared of romance?


This modern love              
                             breaks me

This modern love                     
                      wastes me

quarta-feira, 21 de março de 2012

Produto "cá de casa"

Desde sempre que me lembro de viver entre animais e plantas. Confesso que, se pudesse, todos os animais que tinha em casa seriam de estimação, mas de vez em quando havia um familiar que se encarregava de matar uma galinha, um perú, um pato para o jantar, o que me deixava sempre muito triste (e sem fome). Gostava especialmente dos gansos, apesar do barulho que faziam.

Das plantas, no entanto, nunca tive pena :) sempre me deu um gozo enorme poder apanhar qualquer coisa do quintal para usar nas refeições. Dá outro gosto ir ao quintal e apanhar um limão, um punhado de salsa, parece que tem outro sabor. Não opino sobre se será de melhor ou pior "qualidade", mas não há dúvida que algo apanhado no momento e que cresceu à nossa vista, pelas nossas mãos, será sempre especial.


Claro que nem toda a gente tem espaço para ter uma grande variedade de plantas, ainda para mais comestíveis, mas mesmo num apartamento podem criar-se condições para ter uma ou duas ervas aromáticas que se podem utilizar de vez em quando. Pode aliar-se a estética à utilidade, porque há várias espécies que passam facilmente por plantas ornamentais. E as flores são normalmente comestíveis, o que pode tornar algumas refeições realmente bonitas e especiais.



Desde a cozinha à varanda, lanço o repto de, neste início de Primavera, "adoptarem" uma planta.


Algumas sugestões de espécies comestíveis e que podem facilmente ser criadas em vaso, sem atingir grandes dimensões e sem dar muito trabalho:
- Tomilho (várias variedades diferentes, podem até juntar várias plantas num vaso mais largo);
- Orégãos
- Cebolinho
- Salsa (lisa, frisada)
- Coentros
- Hortelã
- Hortelã-pimenta
- Manjericão
- Malaguetas
- Erva-cidreira
- Tomate-cereja (numa varanda, por exemplo)


terça-feira, 20 de março de 2012

Memórias episódicas de outros tempos

   Já um pouco mais confortável, vamos lá voltar ao plano inicial: memórias.

   De quando datam as vossas memórias mais antigas?
   As minhas são de quando tinha 3 anos. Parece que a partir dessa idade comecei a registar uma série de acontecimentos (normalmente menos bons, curiosamente) que de vez em quando me assaltam o cérebro. Não que mereçam ser esquecidos, nada disso, fazem parte de mim, mas gostava de ter tão boa memória para outras coisas, diria eu, mais úteis.
   Não as saberia ordenar cronologicamente, claro, se não fosse a minha mãe. Foram acontecimentos que de alguma forma me marcaram, lembro-me como se fosse hoje, as cores, os sentimentos, literalmente pequenos fragmentos da minha vida. O facto de praticamente todos serem "maus", no entanto, faz-me pensar na minha maneira de ver as coisas, desde bem cedo...

   Assim de repente, das poucas memórias positivas é de quando ainda usava fralda, mas já era naquela fase de transição, já era "crescidinha". Lembro-me de a minha mãe me abrir a fralda e exclamar "Ahhh, muito bem, não fizeste xixi na fralda!" (que orgulho... se calhar mais valia ter feito, já que era uma fralda das novas, daquelas descartáveis, um bom upgrade para quem usava maioritariamente fraldas de pano)

   Depois vem um rol de quedas e feridas, uma das quais deu origem à pequena cicatriz que tenho no sobrolho. Ia eu alegremente pelo meu quintal quando me deu na cabeça perseguir um pato. Daqueles branquinhos, com o bico amarelo, fofinhos. Mas eu queria mesmo era apanhá-lo, qual Elmyra dos Tiny Toons. Não o apanhei. Cheguei à pequena horta ao lado da casa e não reparei que havia umas cordinhas a delimitar os canteiros. O pato fez uns quantos slaloms para se escapar da criatura horrenda que o perseguia e eu tropecei no primeiro fio que se me apareceu à frente. Caí, claro está, na única pedra com tamanho suficiente para aleijar que por ali se encontrava. Lembro-me de me levantar, espetar a mão imediatamente na têmpora e ir a correr para a minha avó. A caminho lembro-me de olhar de lado para a mão e ver sangue a escorrer, aí sim, comecei aos berros. A memória seguinte é na cama, a debater se me deviam levar ao enfermeiro dos bombeiros para levar pontos. Aqui é que a memória já me falha, acho que cheguei a ir lá e que ele disse que podia levar um ponto mas que não era essencial (tal era a gravidade da coisa...), só sei que me opus veementemente à ideia de me espetarem uma agulha, ao menos deram-me ouvidos... Hoje em dia as agulhas não me fazem impressão nenhuma, se calhar tinha menos uma cicatriz por esta altura se não tivesse sido tão mariquinhas...
   Entre entalões quando brincava no carro antigo do meu tio com os meus primos, quedas e tropeções vários, aventuras com os animais lá de casa há muito que explorar, que eu era bastante desastrada.

   Outra situação passou-se num parque infantil. Os mosquitos e melgas sempre gostaram muito de mim. Na altura a minha mãe besuntava-me com Caladryl e uma outra pomada da qual não me lembro do nome, mas ambas tinham em comum o formar de uma espécie de "capa" protectora que eventualmente começava a escamar... Estava eu sozinha, os meus pais lá ao fundo a ver se eu não me magoava, quando chega um grupo de miúdos, com os quais de boa vontade partilharia o escorrega. Partilharia se eles não chegassem ao pé de mim, como se de um alienígena se tratasse, e me expulsassem com o argumento "tu és esquisita, estás a pelar, sai daqui"... eram muitos, fugi a correr e a minha mãe foi-lhes lá dar um raspanete. Nunca mais fui ao tal parque...



   Mas a mais antiga é mesmo capaz de ser quando a minha tia e os meus primos se foram embora para a Austrália. Lembro-me de estar ao portão com a minha mãe a dizer adeus à minha tia, que levava o meu primo mais novo ao colo. à medida que a minha tia se afastava, a minha mãe começou a chorar. Na altura nem me apercebia do que estava a acontecer, mas comecei a chorar também, claro...

Valham-me as fotografias para ver que a minha primeira infância não foi feita só de lesões e trapalhadas :)


Adenda: que parvoíce, esquecimento imperdoável, das melhores memórias que tenho, talvez a melhor, tinha eu quase 4 anos, foi de andar num C-130 a caminho dos Açores, espreitar pela janela e ver nuvens cor-de-rosa, ao fim do dia, pareciam de algodão :)

segunda-feira, 19 de março de 2012

Hoje não

Estava aqui a escrever um post sobre memórias de infância, mas lembrei-me que posso fazer qualquer coisa mais engraçada e completa se não estiver com febre, entupida, dopada com paracetamol e ibuprofeno, e se tiver um scanner à mão. Fica para amanhã.

Entretanto aproveito e deixo aqui isto:



Não me julguem (só) com base nisto, estou doente, hoje posso exceder os limites do bom senso :)

sábado, 17 de março de 2012

Manimal

"Dr. Jonathan Chase... Wealthy, young, handsome. A man with the brightest of futures. A man with the darkest of pasts. From Africas's deepest recesses, to the rarefied peaks of Tibet, heir to his father's legacy and the world's darkest mysteries. Jonathan Chase, master of the secrets that divide man from animal, animal from man, Manimal!" 
 

Alguém se lembra disto? O que eu adorava esta série! Fui averiguar e afinal só teve 8 episódios (o que são 8 episódios hoje em dia?)... Naquele tempo valiam ouro, a mim pareceram-me várias temporadas, ainda hoje me lembro de pormenores (se me tentar lembrar de pormenores das séries que vou acompanhando nos dias que correm, se calhar escapa-me muita coisa...).

A série é de 1983, cá em Portugal não sei quando passou, mas deve ter sido no início dos anos 90 (a minha memória é muito mais fotográfica que cronológica). É mais uma série de combate ao crime, desta feita pelo Dr. Jonathan Chase, com o apoio do seu amigo Ty Earl e da Detective Brooke Mckenzie, os únicos que conhecem o seu segredo: ele pode transformar-se no animal que quiser.

Com efeitos especiais típicos da época, agora se calhar já não será a mesma coisa, mas vou tentar arranjá-la, quanto mais não seja para ficar como recordação.

sexta-feira, 16 de março de 2012

7 Maravilhas - Praias de Portugal


Sim, parece que agora a moda pegou e há 7 Maravilhas para tudo quanto é gosto... Eu não sou de modas, mas sou de praias. Verdade seja dita que já não ponho as patas dentro de água há demasiado tempo, mas sempre gostei de praia, não só para o banho (quando era pequena punha-me a comer areia e tudo). Posto isto, vamos lá ver quais as 10 praias nomeadas pelos 'especialistas' para cada uma das 7 categorias:

Praias de uso desportivo:
Praia da Arrifana – Aljezur – Algarve
Praia da Cordoama – Vila do Bispo – Algarve

Praia de Ribeira d’Ilhas – Mafra – Lisboa e Setúbal

Praia de Santa Bárbara – Ribeira Grande – São Miguel – Açores

Praia do Amado – Aljezur – Algarve

Praia do Cabedelo – Figueira da Foz – Beira Litoral

Praia do Cabedelo – Viana do Castelo – Entre Douro e Minho
 
Praia do Guincho - Cascais - Lisboa e Setúbal
Praia Grande - Sintra - Lisboa e Setúbal
Supertubos – Peniche – Estremadura e Ribatejo
 
Praias urbanas:
Baleal – Peniche – Estremadura e Ribatejo
Praia da Caloura – Lagoa – São Miguel – Açores
Praia da Costa Nova – Ílhavo – Beira Litoral
Praia da Figueirinha – Setúbal – Lisboa e Setúbal
Praia da Nazaré – Nazaré – Estremadura e Ribatejo
Praia da Rocha – Portimão – Algarve
Praia da Zambujeira do Mar – Odemira – Alentejo
Praia das Maçãs – Sintra – Lisboa e Setúbal
Praia de Porto Pim – Horta – Faial – Açores
Praia de Tróia-Mar – Grândola – Alentejo

Praias de arribas:
Berlenga – Peniche – Estremadura e Ribatejo
Porto Moniz – Porto Moniz – Madeira
Praia da Adraga – Sintra – Lisboa e Setúbal
Praia da Arrifana – Aljezur – Algarve
Praia da Marinha – Lagoa – Algarve
Praia de Almograve – Odemira – Alentejo
Praia de Galapinhos – Setúbal - Lisboa e Setúbal
Praia de Odeceixe – Aljezur – Algarve
Praia do Meco – Sesimbra – Lisboa e Setúbal
Zona Balnear dos Biscoitos – Praia da Vitória –Terceira – Açores
 
Praias de dunas:
Ilha do Pessegueiro – Sines – Alentejo
Praia da Amoreira – Aljezur – Algarve
Praia da Bordeira – Aljezur – Algarve
Praia da Comporta – Grândola – Alentejo
Praia da Ilha de Tavira – Tavira – Algarve
Praia de São Jacinto – Aveiro – Beira Litoral
Praia do Carvalhal – Grândola – Alentejo
Praia do Guincho – Cascais – Lisboa e Setúbal
Praia do Osso da Baleia – Pombal – Estremadura e Ribatejo
Praia do Porto Santo – Porto Santo – Madeira

Praias selvagens:
Almagreira – Peniche – Estremadura e Ribatejo
Canto Marinho – Viana do Castelo – Entre Douro e Minho
Fisgas de Ermelo – Mondim de Basto – Trás os Montes e Alto Douro
Ilhéu de Vila Franca do Campo – Vila franca do campo – São Miguel – Açores
Lagoa do Fogo – Ribeira Grande – São Miguel – Açores
Praia Cacela/ Fábrica – Vila Real de Santo António – Algarve
Praia da Estaquinha – Lagoa – Algarve
Praia da Fajã do Cabo Girão – Ribeira Brava – Madeira
Praia da Ursa – Sintra – Lisboa e Setúbal
Praia do Ribeiro do Cavalo – Sesimbra – Lisboa e Setúbal

Praias de rios: 
Pego Fundo – Alcoutim – Algarve
Penedo Furado – Vila de Rei – Beira Interior
Praia de Vila Nova de Milfontes – Furnas – Odemira – Alentejo

Praia Fluvial da Relva da Reboleira – Manteigas – Beira Interior

Praia Fluvial de Côja – Arganil – Beira Litoral

Praia Fluvial de Loriga – Seia – Beira Interior

Praia de Ferragudo – Lagoa – Algarve

Praia Fluvial de Fragas de S. Simão – Figueiró dos Vinhos – Beira Litoral

Praia Fluvial de Avô – Oliveira do Hospital – Beiral Litoral

Quinta do Alamal – Gavião – Alentejo

Praias de albufeiras e lagoas:
Albufeira do Ermal – Vieira do Minho – Entre Douro e Minho
Albufeira da Tapada Grande – Mértola – Alentejo

Praia de Foz do Arelho - Lagoa – Caldas da Rainha – Estremadura e Ribatejo

Praia da Castanheira - Lago Azul – Ferreira do Zêzere – Estremadura e Ribatejo

Fraga da Pegada – Albufeira do Azibo – Macedo de Cavaleiros – Trás os Montes e Alto Douro

Praia da Ribeira - Albufeira do Azibo – Macedo de Cavaleiros – Trás os Montes e Alto Douro

Praia Fluvial de Aldeia do Mato – Abrantes – Estremadura e Ribatejo

Praia Fluvial de Piódão – Arganil – Beira Litoral

Praia Fluvial de Valhelhas – Guarda – Beira Interior

Vale do Rossim – Gouveia – Beira Interior


Pelo que percebi, cabe agora a 21 personalidades reduzir esta lista de 70 para 21 praias, o que pelas minhas contas dá 3 praias para categoria, certo? Espero que as que eu marquei como favoritas (a cinzento) se mantenham na lista, senão é certo e sabido que não voto mesmo...

E pronto, depois disto tudo ficou-me a apetecer praia...  passear ao longo da linha de água, de preferência bem acompanhada... (pena que estou doente, o bom tempo fraqueja e a companhia que eu queria também)

p.s. - podem ver mais no site oficial das 7 maravilhas ou no facebook

quinta-feira, 15 de março de 2012

Street Art Utopia

(em especial esta página)

Taco Bell vs. Fegato

Isto é que era de trazerem para cá para Portugal... com tanto franchising que anda para aí, reduziam a quantidade e apostavam na variedade. E porque está quase na hora de almoço e me está a apetecer:


Mas não, o meu almoço não vai ter um décimo da graça... talvez no fim-de-semana prepare uns petiscos mexicanos para moi-même. Nos EUA é devia ter aproveitado ao máximo isto da comida, mesmo assim ainda dei umas boas facadas na dieta. Aos anos que foi, bem podia ter dado mais!

Pensando bem, no tempo em que fazia viagens, a maior parte com o meu pai, só houve uma situação em que tive azar com a comida (sim, porque ele teve várias vezes, atrai situações embaraçosas). Veneza, há uns quantos anos, hora de jantar; sentamo-nos à mesa num restaurante do qual já não me lembro do nome. Vem o senhor, dá-nos o menu, trocamos dois dedos de conversa de circunstância (quer dizer, eles trocam, eu mantenho-me caladinha, que o italiano não é o meu forte). Depois de 5 minutos de indecisão (eu mais inclinada para o bifinho ou para a típica massa), ele resolve perguntar ao senhor o que era o tal "Fegato" com polenta, para ser diferente.
Ora... estarão a pensar que é ÓBVIO que fegato é incrivelmente parecido com fígado, certo? Pois para aquelas duas alminhas, não me perguntem porquê, tal similaridade não foi de todo evidente. Claro que o senhor disse que era muito bom, que valia a pena, e então bora lá: dois fegatos pa mesa 2! Sendo que nenhum dois dois gosta de fígado, podem imaginar o agrado que foi quando os pratos chegaram e apresentavam duas postas fumegantes daquilo... A vergonha, o embaraço. O que ainda nos safou foi a polenta...
Curiosamente no dia a seguir demos com uma espécie de micro-festa-do-avante de um dos partidos de esquerda de lá, com cartazes e faixas e... bancas de comida. É capaz de ter sido a melhor refeição em Veneza.

Mas de viagens falo noutra altura, agora é hora de ir almoçar.


Bom apetite!

quarta-feira, 14 de março de 2012

Programa Favorito (Culinária)




1º seguidor

E o prémio de primeiro seguidor vai para...

POC (Grande boss do Simão, Escuta!)

É uma honra tê-lo por cá (espero que não tenha vindo ao engano), puxe duma cadeira e sirva-se dos aperitivos. Por enquanto de bebidas ainda só tenho água para oferecer, mas ao menos é engarrafada. Bem-vindo!

Memórias do passado

Gosto de fotografia. Não tenho especial jeito nem nunca aprendi, mas gosto. De vez em quando saíam-me umas fotos fantásticas. Saíam-me, não saem, porque já não tenho máquina fotográfica (a do telemóvel não conta, é horrível). Hei-de ter, quando puder.

Andei a 'arrumar' o computador, e encontrei umas fotografias que pensava já ter apagado. Sim, porque há uns anos deu-me a pancada e andei a apagar fotografias a torto e a direito. Depois arrependi-me, claro, mas na altura soube-me bem. Algumas fiz bem em apagá-las, mas podia ter sido esperta e guardar as que não têm pessoas... é mesmo só porque tinha algumas fotografias mesmo boas...

Claro que vi coisas que me fizeram saudades, coisas boas, amizades que ainda poderiam existir se não fosse uma série de mal-entendidos. Mas o passado está lá atrás e não vale a pena pensar muito no que já não tem emenda. Não vale a pena, mas penso sempre "e se...", por mais que não queira.

Dos melhores verões que já tive, se não o melhor, só lá faltou mesmo uma pessoa.



Obrigada A.L. por fazeres parte da minha vida, tu mais que ninguém percebes este sentimento, perdeste tanto como eu, naquele tempo. Desde o início foste uma boa amiga, sempre tiveste um jeito especial para me perceberes, quando a maior parte dos outros não se esforça para ver mais além.


Note to self: Do a better job erasing photographs OR keep your files well organized in the future.